British Shorthair

Visão Geral da raça

O British Shorthair (BSH) é uma das raças européias mais antigas.

PERSONALIDADE: Ele é um gato inteligente e se apega facilmente a um humano, vive ao lado do seu tutor, mas não é dependente. Ele gosta de companhia humana e de bom grado alimenta essa relação.

 

O gato britânico é um gato "terrestre", ou seja, se move preferencialmente na horizontal, não vertical (cortinas, varões de cortina, imagens não o interessam). É um gato quieto, com uma voz suave, gentil, equilibrado e se adapta facilmente a novas condições, não entra em conflito com outros animais e pessoas.

CONSTRUÇÃO: O gato britânico é o maior dos gatos de pêlo curto.

Forma do corpo: forte, compacto, musculoso e largo.
Cabeça: grande, redonda, larga.
Nariz: Curto, reto.
Queixo: bem educado.
Olhos: muito grandes e redondos.
Orelhas: de tamanho médio, largas na base, arredondadas.
Pernas: Curtas e fortes. 

Pés: grandes, redondos.
Cauda: grossa, não longa.
Pele: curta, grossa.

CUIDADOS: embora pareça com um urso, redondo e de pelúcia é um gato que não requer escovação frequente.

O British Shorthair (BSH) é um gato doméstico de pêlo curto de pedigree. Com sua atraente aparência de ursinho de pelúcia, disposição amável em relação aos humanos e outros animais, e seus níveis de energia tranquilo e calmo.

Eles são lindos, gatos amigáveis, com constituição excelentes, sem os problemas específicos  de algumas raças e abençoados com longevidade. Sim, os BSH vivem por muito tempo.

São geralmente muito fáceis de cuidar e solidamente independentes, tornando-os um bom primeiro animal de estimação e ideal para casas de família e como um companheiro felino para alguém que vive sozinho.

A historia do BSH começa há dois mil anos, com a chegada dos antigos romanos na Grã-Bretanha. Para lidar com o problema dos vermes invadindo suas lojas e espalhando doenças, tanto em navios nas longas viagens marítimas quanto quando chegaram nas ilhas britânicas, os romanos trouxeram especialistas habilidosos em controle de pragas: os primeiros gatos domésticos, adquiridos em seus territórios no Egito.

Na chegada à Grã-Bretanha, os gatos egípcios fizeram alguns novos amigos: gatos selvagens europeus. Esses gatos selvagens eram muito diferentes dos gatos egípcios. Além de serem maiores e mais musculosos do que os elegantes felinos do deserto, o temperamento era muito diferente. Mais solitário, mais agressivo e nada receptivo a compartilhar seu hábitat com humanos, afinal era um gato selvagem.

Apesar dessas diferenças, as duas espécies encontraram alguma forma de se acasalar. Os resultados desses cruzamentos foram felinos resistentes de pêlo curto, caçadores ávidos como o gato selvagem, mas muito sociáveis e muito felizes em viver ao lado de humanos. Estes foram os primeiros gatos britânicos. 

Por gerações, os descendentes de gatos selvagens e gatos egípcios floresceram em todas as ilhas britânicas. Eles eram tremendamente úteis para os humanos, pois faziam um trabalho de controle com roedores e pássaros que, de outra forma, teriam destruído plantações e silos.

Eles desempenharam um papel importante na história do país, impedindo que inúmeras pessoas morressem de fome ou contraindo doenças fatais. Esses heróis felinos estavam sendo gatos em vez de animais de estimação - até que no século 17 ou 18, manter gatos como animais de estimação tornou-se uma prática comum.

Com o tempo surgiu o primeiro protótipo de British Shorthair: um gato robusto e musculoso e abençoado com um comportamento estável que os tornava companheiros confiáveis e tranquilos.

No final do século XIX, os gatos foram trazidos de vez para as casas como animais de estimação, em vez de serem apenas animais. A reprodução seletiva para características preferidas estava ganhando popularidade entre certas seções das classes altas vitorianas.

O desenvolvimento do British Shorthair, como conhecemos hoje é frequentemente atribuído a Harrison Weir, muitas vezes considerado "o pai dos aficionados por gato". Não está claro ainda se foi Weir quem teve a ideia de criar um pedigree com os melhores exemplares de gato doméstico britânico.

O que se sabe é que Weir estava encatado com a beleza e a disposição agradável dos progenitores da raça British Shorthair e trabalhou muito em torná-los uma verdadeira linhagem de pedigree.

 

O primeiro British Shorthair

Graças a Weir e outros criadores o primeiro show de gatos na Grã-Bretanha foi realizado em 1871. Esse show aconteceu no Crystal Palace, em Londres, ao lado de muitos outros eventos culturalmente significativos. O Shorthair exibido era na cor blue, com pele cinza sólida e olhos âmbar profundos. 

Depois dessa estréia triunfante no Crystal Palace, o British Shorthair continuou a prosperar por muitos anos. As pessoas ficaram encantadas com a aparência amigável e calma do gato, o que os torna o candidato ideal para um gato doméstico.

Infelizmente a raça sofreu uma forte baixa durante a Primeira Guerra Mundial.

Muitos animais do Reino Unido foram sacrificados ou abandonados porque seus proprietários não podiam mais sustentá-los. A criação de gato era vista como algo de luxo, algo incompatível com a austeridade da época. A endogamia excessiva já era conhecida por ser responsável por sérios problemas de saúde e os criadores queriam evitar isso.

Para resolver esse problema, os criadores de British Shorthair começaram a cruzar suas linhagens com outras linhas de pedigree, particularmente Persas.

Isso causou muitos problemas, já que os descendentes tinham características Persa e não podiam ser chamados de British Shorthair. Tinham pêlos longos e outras características que os diferenciavam do padrão da raça. Eventualmente, a reprodução cuidadosa devolveu a linha à sua forma original de pêlo curto - apenas com um casaco um pouco mais grosso e macio.

Algo semelhante aconteceu na Segunda Guerra Mundial, com os exemplares de BSH diminuindo ainda mais drasticamente que antes. Os criadores foram forçados mais uma vez a cruzar seus BSH com Persas e Russo para evitar que as linhas se tornassem irremediavelmente inatas. Desta vez, os criadores também introduziram o francês Chatreux no cruzamento. Este com aparência muito parecida com o BSH: são coby, assim como os BSH, patas arredondadas e uma grossa camada de pele cinza. Com trabalho minucioso o BSH volta às linhas originais.

Na década de 1970, a raça British Shorthair foi solidamente restabelecida e foram reconhecidos internacionalmente: a CFA começou a resgistrar os BSH. Desde então os BSH amados são agora a raça de pedigree mais popular no Reino Unido e são apreciados no mundo todo.

O gato British Shorthair é notoriamente independente - ao ponto de algumas pessoas reclamarem que os gatos da BSH são muito indiferentes. Na verdade, eles são alguns dos gatos mais amorosos e leais que você já conheceu. O British Shorthair é amigável e gracioso para convidados ou estranhos, mas pode demorar um pouco para realmente se apaixonar por alguém. Uma vez que eles estão acostumados com você, você não encontrará mais um companheiro felino fiel ou aficionado do que o British Shorthair.

Eles são os amigos mais verdadeiros, ligados a algumas pessoas especiais e estabelecendo uma conexão realmente maravilhosa. É típico encontrar seu British Shorthair andando em sua casa, indo de cômodo em cômodo, querendo se sentar perto de você e ficar de olho em tudo o que você está fazendo.

 

Isso é tremendamente envolvente. Esses gatinhos ficam supervisionando as atividades do dia-a-dia, fazem companhia e oferecem ocasionalmente um comentário silencioso sobre o que você possa estar fazendo. Não há nada tão reconfortante quanto a presença de seu “gerente” amoroso BSH enquanto você trabalha, faz tarefas domésticas ou relaxa.


Alguns British Shorthairs reservam seus conhecimentos de supervisão para um ou dois seres humanos específicos; 

O British Shorthair parece ter um senso curioso de rotina. Não é só a hora das refeições, embora os British Shorthairs certamente se lembrem disso! Eles parecem saber que certos eventos geralmente acontecem em determinados momentos do dia. Se você geralmente volta para casa na mesma hora todos os dias, por exemplo, não é incomum encontrar seu BSH esperando por você quando chegar em casa do trabalho.

Uma história de um tutor de Shorthair que ficou preocupado quando seu gato sempre parecia estar sentado perto da porta quando ele entrou, temendo que ela estivesse esperando ansiosamente por horas. Ele montou algumas webcams baratas para observá-la enquanto estava fora e descobriu que ele estava “de serviço” cerca de dez minutos antes de parar do lado de fora da casa. Antes disso, ele estava cochilando em sua cama de gatinho. Ela não estava ansiosa - ela só sabia que era hora de ir para casa e se preparava para cumprimentá-lo. Muitos gatos desta raça se levantarão de seus pontos de cochilo e irão esperar na porta quando for hora de um membro da família retornar da escola ou do trabalho, antecipando sua chegada.

Os gatos British Shorthair são uma raça de baixa atividade


Eles têm momentos mais enérgicos, mas tendem a passar a maior parte do dia sentados ou em silêncio em seus locais de observação preferidos, cochilando ou supervisionando a casa com seus grandes olhos redondos.

 

O British Shorthair é muito inteligente - eles são muito fáceis de treinar e gostam de aprender novos jogos e truques. Ao contrário, digamos, dos siameses, essa inteligência não se manifesta como um comportamento problemático.

Eles são muito mais propensos a exercitar o cérebro com um intrigante brinquedo ou quebra-cabeça do que em tentar invadir o armário ou descobrir como abrir a geladeira. Sua alta capacidade de treinamento torna muito fácil educar seu British Shorthair em habilidades práticas, como usar a caixa de areia de forma adequada e arranhar seus arranhadores, não os móveis. Também é divertido ensinar uma novidade ao BSH, como dar a você um high-five em troca de uma recompensa. 

Shorthairs britânicos tendem a estar no lado sério. Uma vez que eles superaram sua vida ativa e vibrante, British Shorthairs se acalmam muito e preferem uma vida de repouso digno a uma das acrobacias. Isso é provavelmente o melhor, já que eles tendem a ser um pouco desajeitados e são obrigados a tropeçar em suas próprias patas se correrem muito rápido. Seu baixo nível de energia e natureza descontraída tornam o British Shorthair um gatinho calmo. Uma das melhores características do British Shorthair é essa natureza paciente.

Eles são companheiros maravilhosos para as crianças, infalivelmente pacientes e relaxados, sem tendência a agressão. É claro que as crianças precisam ser supervisionadas adequadamente quando brincam com qualquer animal (pelo menos até que a criança tenha idade suficiente para entender os tipos de coisas que os afligem e evitar essas atividades). Mesmo assim, é menos provável que um Shorthair Britânico se torne agressivo ou ataque uma criança que seja um pouco rude ou excessivamente persistente do que a maioria dos gatos. Se ficarem desconfortáveis ​​com a situação, é muito mais provável que façam uma saída digna do que arranhar ou beliscar os dedinhos. O mesmo vale para outros animais - British Shorthairs são muito bons com outros gatos e com cães treinados e adequados para o gato.

Os gatos de pêlo curto britânico embora sejam ótimos com cães e outros gatos, o mesmo não se aplica a animais menores. Você precisa ter em mente que esses gatos são descendentes de gerações de caçadores. Eles têm um instinto de caça absolutamente feroz. Se você tem animais de estimação pequenos, como coelhos, ratos, hamsters, ratos extravagantes e assim por diante, você precisa ser prudente em mantê-los longe do seu British Shorthair.

 

Seu British Shorthair tem muitas maneiras em que ela expressa seu amor.

Como já falado, ela gosta de estar perto de você - talvez não bem em cima de você, mas perto para que ele possa vê-lo e aproveitar sua companhia. É muito comum um BSH amoroso sentar-se em um lugar alto, onde ela pode olhar para baixo ou para o humano, piscando lentamente os olhos. Isso é o que os amantes de gatos chamam de beijo de gato, e quando você entender, logo se sentirá muito amado quando ela fizer isso. Fechar os olhos assim é uma expressão de total confiança; ela sabe que você se importa com ela e não vai machucá-la, então ela fecha os olhos para demonstrar isso. Você pode retribuir “beijando-a” de costas, fechando os próprios olhos enquanto olha para ele.

 

Um pouco semelhante é uma cabeçada. Shorthairs britânicos parecem realmente gostar disso. Quando seu gato abaixa a cabeça e bate na perna ou na mão, ele diz “Eu te amo e confio em você. Eu não preciso ver o que você está fazendo enquanto eu faço contato, porque eu sei que você é uma boa pessoa. Não se sabe de um Shorthair britânico que não gostasse de ser acariciado. Gatos diferentes podem ter gostos diferentes quando se trata de como você os acaricia. Alguns britânicos Shorthairs gostam de carícias em todo o corpo da cabeça à cauda, ​​enquanto outros podem preferir uma abordagem mais contida, onde você se concentra em suas cabeças e ombros. Você pode dizer se as coisas estão indo bem porque o gato vai relaxar e pode começar a ronronar (às vezes bem alto). Coçar a cabeça e as orelhas é geralmente bem-vindo.

Esta raça parece estranhamente gostar de esfregar a barriga também. Para muitos gatos, rolar de costas é um sinal de confiança: eles estão mostrando sua barriga vulnerável no entendimento de que você será muito respeitoso para fazer algo tão desajeitado quanto tentar tocar a pele da barriga. No caso do British Shorthair, no entanto, mostrar-lhe a barriga é muitas vezes um convite sincero para esfregar a pele incrivelmente macia lá. Entre devagar para que ele não se sinta ameaçado, depois afaste-se. Esfregar a barriga de um British Shorthair é uma experiência única - sua pele é especialmente macia e  o toque é maravilhoso.

de https://mybritishshorthair.com

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

Gatil Lancelot in Love

Criação de British Shorthair

Desde 2018

Membro da FIFE (Clube Brasileiro do Gato)

whatsapp-logo-icone.png